Ócio criativo

DSC_0277

Tédio. Quem não se lembra de perguntar para os pais umas 567 vezes durante uma viagem se já estava chegando? Durante a preparação da viagem essa era uma das minhas principais preocupações. Como entreter a Tarsila nas viagens longas? Como fazer ela ficar quieta durante as cinco horas que precisaria ficar na cadeirinha? Como livrá-la do tédio? Quem convive com a Tarsila sabe que ela é um doce de menina, mas, quando o bicho pega, pega forte. Nunca vi um ser saber impor o seu desejo, gritar e chorar de forma tão alta e vigorosa quanto ela.

Eu estava apavorada de fazê-la passar por isso (e a nós também, claro!). Então uma das primeiras providências que tomei foi baixar um monte de desenhos, brincadeiras e livros no Ipad. A hora que a irritação aparecesse, daria para ela. Também separei um monte de livros em papel, bonecas, papel e giz. Praticamente uma brinquedoteca no carro.

Não usei nada. Ou quase nada, ela ficou abraçada boa parte da viagem com a boneca de pano.

Eu tinha me esquecido de algo fundamental em qualquer criança: a riqueza do mundo interno. Ela não se estressou em nenhum momento. Pelo contrário. Ficou muito em silêncio, admirou a paisagem, cantou suas músicas – especialmente as inventadas, conversou e brincou de conta-conta*. Não chorou. Não se estressou. Ela apenas precisava dela mesma e de tudo (e todos) que faz parte de si.

Se eu tivesse dado o Ipad logo no começo da viagem, teria roubado esse momento da minha filha. Percebi que a Tarsila não tem problema com o tédio, nós temos. Nós desaprendemos a não fazer nada. E empobrecemos nosso mundo interior com tantos estímulos. Nos breves momentos de espera, até nas filas que enfrentamos diariamente, logo sacamos o celular, aproveitamos para responder algum email pendente, checar o Facebook, ver as fotos. Ficar quieto passou a nos incomodar. Não fazer nada virou sinônimo de perda de tempo. Mas ninguém pode perder o que não possui. Vivemos o tempo. Podemos viver bem. Ou não.

Que bom que a Tarsila me ensinou isso logo no começo da viagem. Ainda há tempo de escolher viver bem.

(*) conta-conta é como a Tarsila chama a brincadeira de faz de conta. 😉

5 comentários em “Ócio criativo

  1. A Tata é curiosa, sempre foi, desde muito pequena. Certeza que ela deve estar encantada com o novo, novos caminhos, novas paisagens, novas aventuras! E é só o começo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s